Decorar não resolve

Antigamente tínhamos que decorar muita coisa na escola e anos depois percebo que pouca coisa ficou na memória, de tudo aquilo que tão diligentemente arquivei decorando. Decorar funciona só no momento, mas em poucos dias a tendência do que se decorou é perder-se para sempre.

Um inconveniente da matéria decorada é que você não consegue usá-la convenientemente. Alunos que aprendem o alfabeto em inglês decorando “the alphabet song” têm grandes problemas na hora de soletrar porque a cada letra têm que cantar a musiquinha toda mentalmente até chegar à letra em questão. Isso não é prático e acaba cansando, fazendo com que você tenha um rendimento muito abaixo de quem simplesmente aprendeu entendendo e criando links mentais, sem decorar.

Há ítens que temos que decorar – me dirá você. Claro, pelo menos a princípio é bom decorar a tabuada, datas e nomes, mas só se forem muitos e você tiver pouco tempo. Fica mais fácil arquivar para sempre e acessar mais facilmente se você usar recursos mnemônicos para lembrar dados importantes, fugindo do decorebas.

Um recurso que uso muito é a associação de idéias. Crio um link mental com alguma coisa que eu já saiba e aí não preciso decorar porque a informação nova fica para sempre ligada à informação antiga que já tenho em meu cérebro.

Se você já sabe que o Brasil foi descoberto em 1.500 é só imaginar a América sendo descoberta “8 anos antes”. Imagine uma história e mentalize o número 8, imagine os espanhóis descobrindo a América e (+ 8) o Brasil sendo descoberto. Se você mentalizar bem e conseguir criar uma imagem do Brasil sendo descoberto 8 anos depois da descoberta da América será muito mais fácil guardar. Algumas pessoas apenas lendo esse parágrafo já irão guardar essa informação e a data do descobrimento da América para sempre.

Esse recurso de “lincar” informação nova a informações já consolidadas em sua memória realmente funciona. Uso esse recurso para guardar logins e senhas de centenas de blogs que escrevo e sites onde tenho perfis, senhas de letras e números de cartões de banco e vale-refeição e transporte, número de documentos e de contas bancárias, números de celulares e telefones e normalmente não tenho dificuldades para lembrá-los quando preciso.

Leia também:

Trabalho de casa

Dúvidas, gente?

Como estudar para a prova

Adiar – um hábito a ser eliminado

(Zailda Coirano)

%d blogueiros gostam disto: