Aprendendo uma segunda língua

Aprender uma segunda língua não é um bicho-de-sete-cabeças, mas ninguém está aqui para afirmar que seja fácil. Depende de esforço, organização e determinação.

No quesito esforço vamos colocar aí o fato de você ter que lidar com uma gramática diferente daquela que aprendeu (?) na escola, acostumar-se a sons diferentes dos que ouve todo dia, pensar em outra língua, organizar seus pensamentos de acordo com novas regras, esforçar-se para reproduzí-los e depois ainda ter que lembrar disso tudo.

Fazer um curso sem se esforçar nem assumir certas responsabilidades me parece uma atitude tão irracional quanto se você quisesse ficar todo malhado e se matriculasse numa academia. Ao chegar lá e o instrutor mandasse fazer um trabalho de aquecimento, depois ergométrica, depois uns exercícios localizados e por último alongamento, você perguntasse:

– Mas eu tenho que fazer tudo isso? Pensei que ia ficar malhado só me matriculando na academia e vindo aqui 3 vezes por semana.

Parece ridículo mas tem muita gente que acha que vai aprender um idioma só se matriculando, comprando os livros e indo à escola. Sem assumir o compromisso de aprender é pura perda de tempo. É como ir ao médico mas não tomar o remédio depois. Não vai sarar de jeito nenhum, assim como sentar 2 vezes por semana numa sala de aula também não vai tornar você fluente da noite para o dia. E se alguém tentar te convencer de que indo à escola “X” você vai ficar fluente em 3 meses sem se esforçar pode ter certeza de que essa pessoa está mentindo.

No quesito organização será necessário mudar sua rotina para acomodar as novas responsabilidades que pressupõe-se que você tenha assumido ao matricular-se num curso de idiomas: trabalhos escolares, lição de casa, estudo, treino de pronúncia, etc. Se você se matricula num curso e faz de conta que não está tentando aprender e tudo o mais em sua vida tem prioridade e seu curso fica sempre em último lugar, aproveite e matricule-se também num outro curso, que talvez seja mais útil: “como lidar com o fracasso e a frustração”.

Assumir novas responsabilidades vai modificar sua rotina e para que você possa continuar desempenhando bem as outras atividades que já tinha quando se matriculou é necessário reorganizar seus horários. Reserve um horário para estudar, praticar, estudar, ler no idioma que escolheu. Quanto mais contato você tiver com o idioma, mais cedo vai ficar “craque”. A prática leva à perfeição e a não ser que você tenha o péssimo hábito de “desvestir um santo para vestir outro”, terá que repensar seu cotidiano.

Caso conclua que será muito difícil inserir seu horário de estudos em sua rotina atual e se você quer mesmo aprender, corte outras atividades que não o estão levando a nada ou que possa deixar para depois. Focar sua atenção em um objetivo de cada vez fará com que tenha mais sucesso do que se ficar atirando para todo lado como uma metralhadora giratória. Pense comigo: “Como se colocam 10 galinhas dentro de um galinheiro?” E a resposta é simples: ponha uma de cada vez.

No quesito determinação coloque aí que quer mesmo aprender e que não vai desistir na primeira dificuldade. Se aprender fosse uma coisa fácil, que a gente tomasse uma pílula antes de dormir e acordasse falando outra língua, todo mundo seria poliglota. Não é difícil mas também não é a coisa mais fácil do mundo, então você tem que ser realista e aceitar que terá que vencer etapas, sendo que as primeiras serão as mais difíceis, se conseguir ultrapassá-las certamente sairá vencedor, se fugir assim que for exigido um pouco mais de você, é melhor matricular-se ainda hoje naquele curso que eu citei acima.

E aqui vou colocar uma frase de que gosto muito. Gosto porque me fez atingir muitos objetivos, que a princípio pareciam sonhos impossíveis. Quando, por exemplo, comuniquei à minha diretora que iria preparar-me para fazer a prova para o DELE Superior da Universidade de Salamanca ela deu uma sonora gargalhada e disse:

– Ainda bem que sonhar não paga imposto.

Depois de 2 anos (determinação) estudando uma hora por dia (organização) sem ajuda de ninguém (esforço) eu consegui o diploma Intermediário, e depois de mais um ano na mesma rotina consegui o diploma Superior. Eu não sou gênio nem nasci virada pra lua, e nem acredito em coincidência ou sorte. Acredito em trabalho, persistência, objetivos claros. E o que me deu força naqueles momentos difíceis em que tive vontade de desistir foi a tal frase, que hoje em dia é o meu bordão:

“A DANÇA DA CHUVA FUNCIONA PORQUE O ÍNDIO DANÇA ATÉ CHOVER.

Espero ter ajudado. E boa dança da chuva pra todos vocês.

Leia também: Você acha que “se vira” no espanhol?

4 Comentários

  1. Gilda

    Zailda,amei seu texto,referente a aprendizagem de uma nova lingua.Prometo seguir suas dicas,pois faço faculdade de Letras com enfase no Portugues-Espanhol.
    Abraço
    Gilda

  2. Patricia Costa

    Olá!
    Primeira vez que acesso seu site. Li esse texto e achei muito inspirador. Talvez por que sigo as mesmas idéias que você colocou. Estou matriculada em um curso de espanhol, minha segunda lingua. Dentre outros mil compromissos, tiro tempo para ler, ouvir e estudar espanhol, pois sei que o pouco esforço que nos dedicamos faz com que cheguemos bem mais rápido ao nosso objetivo.
    Espero que outras pessoas tenham a oportunidade de ler seu texto.
    Parabéns,

    Paty

    • Olá Patrícia
      É verdade, para aprender um idioma é necessário praticá-lo o máximo possível. Não se compreende que alguém se matricule num curso, limite-se apenas à sua carga horária e espere aprender muita coisa. Quanto mais contato você tiver com o idioma que está aprendendo, mais depressa e melhor irá aprender.
      Um abraço.

Trackbacks

  1. Interpretação de textos em inglês « Aprenda Fácil