5 erros de quem quer aprender

Eu sei que quem não aprende sente-se frustrado e que quando nos sentimos frustrados e não sabemos como lidar com esse sentimento, tentamos jogar a “culpa” em fatores externos ou outras pessoas. De qualquer maneira quando a gente não aprende ou não tem o rendimento adequado, o mais interessante não é encontrar um bode expiatório e assim ficar em paz com a consciência. O mais importante e útil é descobrir o que estamos fazendo de errado e tentar mudar o comportamento que está nos afastando de nossos objetivos.

Quem prefere continuar dizendo que o professor é ruim, que a escola não presta, que o livro é não sei de que jeito, que tem muita coisa pra fazer, que não dá tempo e que está na maior correria (tenho alergia dessa palavra!), fique à vontade. Mas que também fique consciente de que colocando as razões do fracasso nas costas de outra pessoa ou de outros fatores (que não sejam sua falta de organização, sua falta de vontade, etc., etc…) também está perdendo qualquer chance de mudar e reverter a situação.

Então vamos ver 5 dos erros mais frequentes de quem quer aprender e não consegue:

1) Botar a culpa nos outros – como eu disse lá em cima, se você faz isso nada vai mudar. Assumir suas culpas é o primeiro passo para mudar. Se você prefere continuar botando-a nos outros, nem precisa ler o resto porque será perda de tempo.

2) Falta de compromisso – para que qualquer coisa dê certo é necessário um compromisso. Vamos supor que combinamos de nos encontrarmos amanhã para resolver um problema; se eu não for, faltei ao compromisso e não cumpri o que havia sido acordado. O mesmo acontece quando tentamos aprender alguma coisa. Tente lembrar de tudo o que você se comprometeu a fazer no primeiro dia de curso (chegar no horário, não faltar, entregar atividades em dia, estudar uma hora por dia, etc.). Agora veja quantas delas está de fato cumprindo. Se não está, essa provavelmente é uma das causas de sua deficiência.

3) Desorganização – quanto mais atividades temos, mais temos que nos organizar para não cairmos naquele esquema furado de “despir um santo para vestir outro”. E tudo começa na hora de assumir os compromissos, porque quem os assume já sabendo que não vai cumprí-los não precisa se preocupar, já que não vai fazer nada mesmo. Marca dois compromissos no mesmo horário, uma atividade de um lado de São Paulo e outra 20 minutos depois do outro lado. Só se tiver máquina de teletransporte, meu filho!

Coloque tudo na ponta do lápis, se for o caso cancele alguns compromissos, mude horários e dias. Seja realista e marque de uma forma que possa cumprir. Anote tudo e siga à risca, para não ficar com desculpa furada de “correria”.

4) Adiar, adiar, adiar – quem adia está procurando chifres em cabeça de cavalo; quem procura chifre em cabeça de cavalo acaba encontrando. Se você não tem um problema, não adie para a última hora porque pode aparecer outro compromisso ou algo poderá dar errado, aí você – que não tinha problema nenhum – vai ter dois ou três. Tem gente que gosta de viver perigosamente, mas se o que você quer é aprender e não ser personagem principal de um filme de ação, quanto menos sobressaltos e “correrias”, melhor. Faça tudo assim que for pedido, mesmo se o prazo for de um mês, assim não corre o risco de esquecer ou de ter que fazer duas ou três coisas ao mesmo tempo.

5) Traçar metas irreais – se você quer ser violinista, fazer duas faculdades, curso de computação e de dois idiomas, lutar kung-fu e ainda sair à noite com os amigos, das três, uma:

– ou vai ficar que nem louco de um lado para o outro que nem equilibrista que bota 20 pratos pra rodar ao mesmo tempo – uma hora vai ter que parar ou vai cair tudo;

– ou vai ficar só no papel e você não vai nem se mexer pra fazer nada, já que não vai adiantar porque não vai dar conta mesmo;

– ou você vai ter que me ensinar a mágica.

Quando traçar seus planos, vá por partes. Primeiro comece a faculdade, ajuste-se, fique de olho e se esforce até se acostumar ao ritmo e se organizar. Aí você vai ter uma visão melhor de quanto tempo vai sobrar. Então vá para a segunda coisa da sua lista e faça o mesmo. Se estiver “puxado” deixe para fazer a terceira quando acabar a primeira, e vá indo assim, quando perceber já terá feito tudo, parabéns! É melhor demorar 10 anos pra fazer tudo (por que a pressa?) do que perder tempo e dinheiro e não fazer nada direito.

Organizando-se, tendo uma visão realista do tempo de que pode dispor, cumprindo os compromissos assumidos, assumindo seus erros e tentando sempre corrigí-los você vai chegar lá.

Zailda Coirano – SOS Idiomas & Digital Goods

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: