Invista em si mesmo

clip_art_illustration_of_a_male_student_wearing_a_graduation_cap_holding_a_stack_of_books_0521-1005-0821-5509_SMUVocê já deve ter ouvido essa frase antes muitas vezes, mas já parou para pensar nela? O que ela significa para você? É apenas uma frase de efeito ou tem um significado real na sua vida?

Investir em si mesmo é construir seus sonhos, porque não basta apenas sonhar. Para que seus sonhos se realizem você precisa construí-los na vida real, e você conseguirá realizá-los mais depressa se começar a se dedicar a essa construção o mais rápido possível.

Quer começar agora? Então vamos lá!

Lápis e papel na mão, comece pelo seu sonho maior. Não importa se parece distante e difícil de conseguir, nada é impossível. Vamos supor que você quer ser cantor. Coloque no papel tudo o que você precisa para ser um. Educar sua voz? Aprender a tocar um instrumento? Conseguir um parceiro para compor suas músicas? Coloque uma lista de tudo o que você acha que é necessário para ser um cantor.

Agora vamos ver se realmente é isso mesmo. Vamos pesquisar. Vá até o Google e coloque palavras chave como: o que é necessário para ser cantor; quero ser cantor; o que faço para ser cantor. Vá abrindo os links e lendo o que encontrar que seja informativo. Há muitos artigos explicando o que é necessário para ser um cantor. Gravadora? Equipamento? Vá colocando em sua lista tudo o que você não havia pensado.

Sua lista está completa? Por onde tem que começar? Numere agora a ordem em que terá que conseguir cada um dos ítens de sua lista. Tem que educar a voz? Comece então a procurar um professor de canto. Tem que aprender um instrumento? Qual? Qual será o investimento? Em quanto tempo será capaz de “arranhar” algumas músicas?

Precisa de um parceiro? Já tem perfil no MySpace? Você pode encontrar um por lá. Já pensou em colocar um anúncio?

Não desista! Vá em frente e você vai conseguir!

Se você quer mesmo realizar seu sonho não basta sonhar. O que você faz de concreto para realizá-lo? Quanto vai precisar (em dinheiro e tempo) para chegar lá? Seja realista, trace um plano completo por etapas, e depois comece a agir!

Se não começar agora, talvez já tenha se conformado a pensar em seu sonho como um sonho apenas. Talvez esteja com medo de tentar e falhar. Vamos lá, coragem! Você só vai saber se tentar, não é mesmo?

Pare de gastar tempo em coisas que não precisa e concentre-se em seu sonho. Se você realmente se esforçar e dedicar seu tempo (e algum dinheiro), tenho certeza que você vai chegar lá! Ao trabalho, então! Nada de moleza!

Apostilas e jogos interativos em PowerPoint para o ensino e prática de idiomas – inglês – espanhol – alemão – francês – português (inclusive PLE). Se mora no Brasil visite SOS Idiomas; se mora no exterior visite: Digital Goods. Entrega imediata por download.

Zailda Coirano

Anúncios

Aprenda sem pressa

Recebo muitas mensagens todos os dias de pessoas que dizem precisar desesperadamente de ajuda. Infelizmente é tudo para ontem. Ou elas foram deixando para a última hora e quando já não havia mais tempo correram para a internet em busca de salvação, ou já começaram correndo atrás do prejuízo.

Não importa qual dos dos motivos fez com que me procurassem, estão batendo os braços no mar bravio, e acabarão se afogando mais dia, menos dia, e se eu ajudar ou não fará pouca diferença.

Por que a pressa?

Aqueles que deixam tudo para a última hora estão tentando se enganar. Eles dizem que querem aprender, mas não têm coragem para tomar as providências necessárias para que o aprendizado aconteça.

O ato de aprender é mais ou menos como a jardinagem: semeamos, afofamos a terra, cada dia cuidamos e regamos um pouquinho e em meses ou anos teremos uma bela planta. Se descuidarmos de nossa planta, deixando de cuidar dela por semanas e só nos apercebermos de nosso descuido quando já estiver estorricando ao sol, não importa quantos baldes de água joguemos ou quantos sacos de fertilizante despejemos sobre a pobre, ela irá morrer ainda mais depressa.

Estudar é um ato de vontade, persistência e paciência, e o aprendizado só vem como “prêmio” se conseguirmos exercer tudo isso na medida certa e no momento necessário.

Quem quer aprender tudo de uma vez também espera um milagre, porque nossa “planta” tem que obedecer seu ritmo e ser observada constantemente para ver se não estamos pecando por falta ou por excesso.

Aprender também tem ritmo

Todos temos um limite aceitável, e se tentarmos burlar nossa própria natureza, tentando aprender em 10 dias o que só seria possível em 10 meses, pagaremos caro por isso. Não haverá tempo suficiente para que o cérebro processe e crie links, que serão usados para “ligar” conteúdo antigo a conteúdo novo; não haverá tempo para a prática, que fará com que o que aprendemos não seja esquecido no dia seguinte.

Você até pode ser dono de um cérebro privilegiado que lhe permita decorar páginas e páginas, mas decorar não é aprender. Tudo o que a gente decora e não usa mais acaba sendo esquecido, e o que custou tanto para ser conquistado irá por água abaixo em poucos dias, semanas ou meses.

Respeite seu ritmo, estabeleça uma rotina, estude um pouco por dia, faça tudo antes do prazo. Assim sua planta irá crescer viçosa  e não se vergará ao primeiro vento mais forte.

Zailda Coirano – SOS Idiomas & Digital Goods

Errando e aprendendo

Se você quer aprender, em primeiro lugar precisa ter humildade. A humildade é a virtude que vai permitir que você assuma seus erros, e quando você assume seu erro começa a aprender.

Eu sempre digo que não aprendemos com nossos acertos, mas sim com os nossos erros. Quando acertamos fechamos a conta e passamos a régua, não pensamos mais naquilo. Quando erramos temos que pensar e descobrir como e porque está errado, como também pesquisar o que está certo.

O aluno que recebe a lição de casa corrigida, dobra-a e guarda está perdendo uma grande chance de aprender com seus erros. Ao receber a sua, veja o que errou e se não entender porque está errado, pergunte ao professor.

Cada vez que você erra tem uma chance de aprender, e se você não aproveitá-la estará desperdiçando possibilidades de melhorar. Aproveite todas, quando errar não tenha vergonha de admitir, não invente desculpas. Procure – isto sim – aprender com seus erros e irá melhorar cada dia mais.

Zailda Coirano – SOS Idiomas & Digital Goods

5 erros de quem quer aprender

Eu sei que quem não aprende sente-se frustrado e que quando nos sentimos frustrados e não sabemos como lidar com esse sentimento, tentamos jogar a “culpa” em fatores externos ou outras pessoas. De qualquer maneira quando a gente não aprende ou não tem o rendimento adequado, o mais interessante não é encontrar um bode expiatório e assim ficar em paz com a consciência. O mais importante e útil é descobrir o que estamos fazendo de errado e tentar mudar o comportamento que está nos afastando de nossos objetivos.

Quem prefere continuar dizendo que o professor é ruim, que a escola não presta, que o livro é não sei de que jeito, que tem muita coisa pra fazer, que não dá tempo e que está na maior correria (tenho alergia dessa palavra!), fique à vontade. Mas que também fique consciente de que colocando as razões do fracasso nas costas de outra pessoa ou de outros fatores (que não sejam sua falta de organização, sua falta de vontade, etc., etc…) também está perdendo qualquer chance de mudar e reverter a situação.

Então vamos ver 5 dos erros mais frequentes de quem quer aprender e não consegue:

1) Botar a culpa nos outros – como eu disse lá em cima, se você faz isso nada vai mudar. Assumir suas culpas é o primeiro passo para mudar. Se você prefere continuar botando-a nos outros, nem precisa ler o resto porque será perda de tempo.

2) Falta de compromisso – para que qualquer coisa dê certo é necessário um compromisso. Vamos supor que combinamos de nos encontrarmos amanhã para resolver um problema; se eu não for, faltei ao compromisso e não cumpri o que havia sido acordado. O mesmo acontece quando tentamos aprender alguma coisa. Tente lembrar de tudo o que você se comprometeu a fazer no primeiro dia de curso (chegar no horário, não faltar, entregar atividades em dia, estudar uma hora por dia, etc.). Agora veja quantas delas está de fato cumprindo. Se não está, essa provavelmente é uma das causas de sua deficiência.

3) Desorganização – quanto mais atividades temos, mais temos que nos organizar para não cairmos naquele esquema furado de “despir um santo para vestir outro”. E tudo começa na hora de assumir os compromissos, porque quem os assume já sabendo que não vai cumprí-los não precisa se preocupar, já que não vai fazer nada mesmo. Marca dois compromissos no mesmo horário, uma atividade de um lado de São Paulo e outra 20 minutos depois do outro lado. Só se tiver máquina de teletransporte, meu filho!

Coloque tudo na ponta do lápis, se for o caso cancele alguns compromissos, mude horários e dias. Seja realista e marque de uma forma que possa cumprir. Anote tudo e siga à risca, para não ficar com desculpa furada de “correria”.

4) Adiar, adiar, adiar – quem adia está procurando chifres em cabeça de cavalo; quem procura chifre em cabeça de cavalo acaba encontrando. Se você não tem um problema, não adie para a última hora porque pode aparecer outro compromisso ou algo poderá dar errado, aí você – que não tinha problema nenhum – vai ter dois ou três. Tem gente que gosta de viver perigosamente, mas se o que você quer é aprender e não ser personagem principal de um filme de ação, quanto menos sobressaltos e “correrias”, melhor. Faça tudo assim que for pedido, mesmo se o prazo for de um mês, assim não corre o risco de esquecer ou de ter que fazer duas ou três coisas ao mesmo tempo.

5) Traçar metas irreais – se você quer ser violinista, fazer duas faculdades, curso de computação e de dois idiomas, lutar kung-fu e ainda sair à noite com os amigos, das três, uma:

– ou vai ficar que nem louco de um lado para o outro que nem equilibrista que bota 20 pratos pra rodar ao mesmo tempo – uma hora vai ter que parar ou vai cair tudo;

– ou vai ficar só no papel e você não vai nem se mexer pra fazer nada, já que não vai adiantar porque não vai dar conta mesmo;

– ou você vai ter que me ensinar a mágica.

Quando traçar seus planos, vá por partes. Primeiro comece a faculdade, ajuste-se, fique de olho e se esforce até se acostumar ao ritmo e se organizar. Aí você vai ter uma visão melhor de quanto tempo vai sobrar. Então vá para a segunda coisa da sua lista e faça o mesmo. Se estiver “puxado” deixe para fazer a terceira quando acabar a primeira, e vá indo assim, quando perceber já terá feito tudo, parabéns! É melhor demorar 10 anos pra fazer tudo (por que a pressa?) do que perder tempo e dinheiro e não fazer nada direito.

Organizando-se, tendo uma visão realista do tempo de que pode dispor, cumprindo os compromissos assumidos, assumindo seus erros e tentando sempre corrigí-los você vai chegar lá.

Zailda Coirano – SOS Idiomas & Digital Goods

Para quem quer aprender em casa

Existem muitas opções para quem quer aprender em casa sem sujeitar-se à correria de ir de casa para o trabalho e do trabalho para a escola ou enfrentar horas no trânsito das grandes cidades ida e volta todos os dias.

Mas – como eu disse acima – isso é para quem quer aprender. O maior problema quando se escolhe aprender sem ir à escola é dedicar-se com seriedade aos estudos. A verdade é que estudar por conta própria é para poucos, para aqueles que levam a cabo o que têm que fazer sem inventar desculpas – mesmo porque não terão para quem contá-las nesse caso. A atitude do aluno que deixa tudo para a última hora ou que vai deixando as atividades se acumularem é mortal para quem decide estudar por conta própria.

Se na escola tradicional é papel do professor explicar, motivar, chamar a atenção do aluno quando ele se distrai, quando você estuda por sua conta irá acumular essas tarefas, além das que são normalmente atribuídas ao aluno.

Quando você não tem um professor para cobrar, quem tem que cobrar-se é você. E se não engana o professor quando inventa desculpas para não fazer o que precisa ser feito, também não enganará a si mesmo.

Seja qual for a opção que você escolheu para estudar sozinho, deve ter em mente que o fracasso ou o sucesso dependerão apenas de sua dedicação, organização e vontade. Se alguma delas falhar, os resultados certamente serão bem abaixo do esperado, e não haverá ninguém além de você mesmo para botar a culpa.

Zailda Coirano – SOS Idiomas & Digital Goods

%d blogueiros gostam disto: